3 erros comuns que um software fiscal pode resolver

3 erros comuns que um software fiscal pode resolver


Realizar uma auditoria periódica nos números e dados contábeis em uma empresa é uma atividade essencial para manter o compliance e verificar como anda a saúde financeira do empreendimento. Porém, como o fator humano ainda é a causa de diversos erros nessa ação, nada melhor que contar com o auxílio da tecnologia para minimizar essas falhas.

Com o aumento da burocracia e do poder de fiscalização dos órgãos reguladores, ter uma ferramenta dessas à mão facilita muito na hora de verificar os dados com clareza e evitar decisões erradas, que podem custar caro para a empresa. Nesse sentido, nos últimos anos houve um grande desenvolvimento de software para problemas fiscais. Destacamos três problemas comuns nas contabilidades das empresas que poderiam ser evitados com um software fiscal. Quer saber quais são eles? Então vamos lá!

1. Notas fiscais não escrituradas

Deixar de registrar notas fiscais emitidas e recebidas ainda é um problema corriqueiro que muitas empresas cometem por descuido ou por falta de organização das contabilidades. Isto significa que poderá haver oportunidades de créditos (recolhimento indevido ou a maior) e/ou contingências fiscais (recolhimento a menor, omissão ou inexatidão de informações) nessas notas que não foram escrituradas, o que pode ser resolvido de maneira simples com um software fiscal.

No caso, o sistema Auditto consegue identificar essas notas que não foram registradas e apontar automaticamente o valor montante das notas fiscais com uma análise de escrituração dos arquivos XML. O módulo de análise de escrituração da Auditto consegue captar as informações das notas fiscais emitidas contra aquele CNPJ e já faz a validação das mesmas, cruzando as informações que constam no sistema do software com a relação cadastrada tanto nos arquivos do cliente quanto nos sistemas do Fisco. Caso haja alguma inconsistência, o sistema identifica e aponta as possíveis correções desse erro com agilidade.

2. Obrigações não entregues ou entregues em branco

Outro erro comum é uma empresa que contrata um profissional para realizar a gestão contábil, ou troca de contabilidade, mas mas não acompanha de perto se todas as obrigações acessórias foram entregues ou entregues em conformidade entre elas, seja por descuido ou por negligência. Como exemplo, temos, no âmbito estadual, as informações apuradas no EFD Fiscal ICMS/IPI, que deverão estar consistentes com a GIA/ICMS – Guia de Informação e Apuração do ICMS e com seu devido recolhimento. 

O que ocorre com frequência nesse caso é os arquivos serem entregues em branco, apenas registrando o protocolo de entrega para evitar a multa por atraso, retificando as informações depois do prazo.  Os sistemas do Fisco geralmente não identificam essa inconsistência, registrando apenas que algo foi entregue. Mas, se por alguma razão, isso for identificado pelo Fisco, o órgão poderá dar início a um procedimento fiscalizatório e/ou a lavratura de autos de infração.

Assim sendo, é preciso fazer o reprocessamento fiscal e contábil para a regularização completa das obrigações acessórias. E o sistema da Auditto consegue identificar de maneira muito rápida se as informações estão sendo enviadas corretamente (se não estão em branco) e a consistência delas, mantendo o compliance.

3. Desconhecimento de aproveitamento de crédito

Na legislação tributária brasileira existe o sistema de crédito ou de não cumulatividade de impostos, que permite que haja compensação de um determinado imposto, isto é, quem recebe as mercadorias ou produtos tem o direito de se creditar do imposto que foi anteriormente cobrado em operações envolvendo a entrada de mercadorias. Como este sistema funciona pelo raciocínio de débito e crédito, ele permite que seja feita a compensação do imposto, já que os valores ora contabilizados como a recuperar serão abatidos dos valores a recolher, gerando o montante líquido a pagar. 

Com o sistema Auditto é possível identificar o aproveitamento correto ou incorreto dos benefícios previstos em lei, como, por exemplo, créditos de ICMS sobre consumo de energia elétrica, previsto nas tributações estaduais. Muitas empresas, inclusive, têm ciência disso, mas iniciaram esse processo de auditoria em um período recente, sendo que a lei permite que sejam verificados créditos referentes aos últimos cinco anos. Com o sistema Auditto, é possível verificar todos os arquivos das obrigações entregues nesse período e apurar se existem inconsistências e identificar esses créditos.  Em outras palavras, uma auditoria com esse nível de informação e detalhe necessita ser feita por uma ferramenta tecnológica de alta capacidade.

Ainda tem dúvidas de que um software fiscal é ideal para manter o controle da gestão financeira do seu negócio e o compliance empresarial? Se você ainda não tem uma ferramenta dessas trabalhando por você, entre em contato com a Auditto.

(Colaboração: Jefferson Monteiro, Assistente Fiscal da Auditto)

Post by Saulo Novaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
image
https://www.auditto.com.br/wp-content/themes/hazel/
https://www.auditto.com.br/
#26ade4
style1
paged
Carregando...
/home/auditto/www/
#
on
none
loading
#
Sort Gallery
on
no
yes
off
off
off