O impacto dos sistemas eletrônicos na fiscalização contábil

O impacto dos sistemas eletrônicos na fiscalização contábil

Nos últimos anos, o governo brasileiro tem buscado diminuir a burocratização e otimizar a relação entre o Fisco e o contribuinte, utilizando, para isso, as tecnologias e aumentando consideravelmente a digitalização das áreas fiscal e tributária. Com isso, o poder de fiscalização também aumentou.

Se você é empresário, provavelmente deve ter conhecimento do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), implantado como parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC 2007-2010). Desde sua implementação, as empresas são obrigadas a possuir um sistema informatizado de gestão fiscal que atenda aos requisitos do SPED, uma equipe e contador qualificados com expertise suficiente para alimentar corretamente as informações no software. Com isso, deixou-se de armazenar documentos de forma física e passou-se a armazená-los em nuvem.

No entanto, muitas dúvidas ainda existem a respeito do SPED e toda essa mudança fez com que muitos ainda tivessem dificuldade em entender o papel prático dele na fiscalização de empresas. Iremos elucidar algumas delas

Para simplificar o processo de arquivamento, envio, validação das obrigações e fiscalização dessas informações, foi criada a EFD – Escrituração Fiscal Digital, que consiste num arquivo assinado digitalmente e que contém todas as informações contábeis e fiscais da empresa. Esse documento é transmitido ao ambiente do SPED via internet, o que permite aos órgãos regulamentadores identificar inconsistências tributárias e fiscais por meio de um rápido acesso às informações, tornando a fiscalização mais efetiva com o cruzamento de dados e outras informações de interesse do Fisco Estadual e Federal.

Logo, o principal papel do SPED na fiscalização das empresas é o fortalecimento do controle e da fiscalização e da auditoria eletrônica por meio de intercâmbio de informações entre as administrações tributárias de modo a combater a sonegação.

Não obstante, a fiscalização será maior ainda com a implantação do eSocial, cabendo às empresas um maior rigor em suas apurações fiscais de modo a manter o compliance empresarial. O eSocial é um projeto integrante do SPED que pretende simplificar e unificar a entrega das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais em todo país.

Com a implementação do eSocial, o envio de informações de trabalhadores e empresas ao governo também passa a ser feito de maneira totalmente digital, com as informações sendo centralizadas e podendo ser acessadas simultaneamente pela Caixa Econômica Federal, Receita Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social. Além disso, dados que até então ficam armazenados nas empresas passarão a ser reportados eletronicamente, como as informações relativas à medicina do trabalho.

O eSocial traz impacto direto na gestão das empresas de todo o país, com aumento do rigor fiscal devido ao cruzamento de dados para identificar inconformidades, como prazos desrespeitados, erros de cálculos e declarações inconsistentes, o que poderá causar multas e recolhimento de tributos.

E a sua empresa? Como ela está lidando com o SPED? Consegue preencher todos os dados do eSocial? Sabe como está o gerenciamento dos seus documentos fiscais? Seu contador consegue baixar todas as NFes, NFSes e CTes? Se você está enfrentando dificuldades com toda essa mudança exigida pelo governo, entre em contato com a Auditto. Somos especialistas quando o assunto é Compliance Tributário.

Post by Flavia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
image
https://www.auditto.com.br/wp-content/themes/hazel/
https://www.auditto.com.br/
#26ade4
style1
paged
Carregando...
/home/auditto/www/
#
on
none
loading
#
Sort Gallery
on
no
yes
off
off
off